blog > Inspiração: Diana, a princesa de Gales

03 Julho, 2019

Inspiração: Diana, a princesa de Gales

Inspiração: Diana, a princesa de Gales

Inegavelmente Lady Di, ou a princesa do povo, como ficou conhecida, foi um dos grandes ícones de moda e comportamento dos anos 80 e 90. Na última segunda-feira, 1 de julho, Diana completaria 58 anos caso estivesse viva. Com o intuito de relembrar a história e o legado da aristocrata, a Monile's preparou um especial para vocês. Confiram:


Diana antes da fama

Nascida em 1 de julho de 1961 e criada ao lado de quatro irmãos na aldeia de Sandringham, na Inglaterra, Diana Frances Spencer teve uma infância breve e não muito feliz. Ainda que tenha nascido em uma família de aristocratas, a jovem só adquiriu seu primeiro título real em 1975, aos 13 anos, após a morte do avô paterno. Na época, era comum que filhas de condes britânicos fossem nomeadas ladies.


Em virtude de um divórcio problemático entre os pais, Diana passou por uma série de problemas escolares e foi enviada à Suíça para completar seus estudos. Todavia, retornou à Inglaterra aos 17 anos e passou a viver em um apartamento em Londres. De conformidade com os desejos do pai, se matriculou no famoso curso de culinária francesa Le Cordon Bleu. Posto que detestava o ofício, em pouco tempo decidiu seguir o sonho de ser bailarina. 


Posteriormente, com a ajuda da mãe, conseguiu um emprego como professora em um estúdio renomado. Em seguida, ainda foi funcionária de uma escola montessoriana, babá de crianças e até mesmo faxineira. Embora fosse filha de nobres, Lady Di buscava independência própria e realização pessoal.




A eterna Princesa de Gales

Após ser convidada para alguns eventos organizados pela realeza britânica, Diana acabou se aproximando de Charles, o príncipe de Gales. Em pouco tempo os dois se casaram e tiveram dois filhos, William e Harry. A partir desse momento, a lady ganhou o título de princesa e tornou-se uma das mulheres mais famosas do mundo. Ícone de moda, beleza e comportamento, passou a ser admirada também por sua conduta. Em 1992, mesmo com o divórcio conturbado e as traições do marido vindo à tona, ela continuou servindo ao povo.




Por seu envolvimento no combate à AIDS e na campanha internacional contra minas terrestres, conquistou diversos prêmios, incluindo um Nobel da Paz. Além disso, foi madrinha de cerca de 100 instituições sociais. Também fazia parte de uma associação para mulheres da alta sociedade que seguiam valores liberais e foi presidente de dois hospitais especializados no tratamento de câncer.


Depois de um jantar ao lado do recém-anunciado namorado Dodi Al-Fayed, o casal sofreu um acidente de carro em Paris, na França. Ocasionada por uma perseguição de paparazzis, a tragédia fez com que Diana inesperadamente falecesse em 31 de agosto de 1997. Um luto público se espalhou por todo o Reino Unido durante o resto do ano. O funeral da princesa tornou-se um dos eventos mais assistidos da história da televisão, já que foi acompanhado globalmente por cerca de 2,5 bilhões de pessoas.


Logo após a sua morte, foi criado o Fundo Memorial de Diana, que tem como objetivo arrecadar dinheiro para dar continuidade ao trabalho humanitário da princesa. Cerca de 100 milhões de euros foram arrecadados a partir de doações, venda de produtos licenciados e atividades organizadas por amigos de Lady Di, como o cantor Elton John.




As inovações de Diana

Mesmo que a morte de Diana tenha ocorrido há muitos anos, a princesa do povo continua sendo lembrada constantemente pela mídia. Estima-se que seu nome seja citado ao menos oito mil vezes por ano pela imprensa britânica. A seguir, três momentos em que Lady Di foi pioneira e desafiou as regras impostas pela tradição real:


1. Quando escolheu o seu próprio anel de noivado

Antes de Diana, anéis de noivado eram encomendados à joalheiros renomados e continham obrigatoriamente alguma pedra preciosa herdada pela família. No entanto, Lady Di escolheu sua joia em um catálogo que viu em uma loja. Atualmente é possível observar a peça nas mãos de Kate Middleton, que recebeu o presente por meio de William.


2. Ao dar à luz em um hospital

De acordo com a tradição, os filhos da realeza deveriam vir ao mundo dentro de palácios. Prestes à dar vida ao filho William, Diana optou por contrariar a rainha e realizar seu parto em uma maternidade de hospital, com a ajuda de médicos e enfermeiros especializados.


3. Ao derrubar tabus

Uma imagem de Diana cumprimentando um paciente portador de HIV tornou-se mundialmente famosa em 1987 . Nela, a princesa é retratada como de costume: tratando pessoas com dignidade, humildade e carinho. Na ocasião, ao dispensar o uso de luvas, Lady Di horrorizou a Rainha Elizabeth, que acreditava que a moça certamente seria contaminada com alguma doença.


A moda de Lady Di

Sem dúvida, Diana sabia que moda é uma das mais belas formas de expressão existentes.  Além de introduzir calças jeans, bermudas de academia e uma cartela de cores vibrante ao cotidiano da realeza, ela foi responsável por eternizar momentos históricos e algumas peças icônicas (entre elas, ternos femininos, joias com pérolas e vestidos tubinho). 


Em um dos episódios mais memoráveis, Diana compareceu à festa da revista Vanity Fair, em 29 de junho de 1994, com um ousado vestido de decote ombro a ombro, meia-calça e scarpin pretos. No pescoço, um colar de pérolas exuberante. Mais cedo nesse mesmo dia, seu ex-marido havia anunciado o relacionamento com a amante Camilla Parker. A vestimenta ficou conhecida como "vestido da vingança" e foi um dos looks mais copiados da época.




Além disso, as pérolas viraram febre justamente por causa da princesa. Em inúmeras ocasiões ela foi vista usando colares e brincos feitos a partir das contas esbranquiçadas.


Gostou de relembrar esse ícone que foi Lady Di? Já conhecia seu legado e sua história de vida? Conta pra gente nos comentários qual é a sua joia com pérolas favorita. E não esquece de seguir a Monile’s no Instagram!


Descrição: Lady diana, princesa, inglaterra, reino unido, joias, monile's, banho em ouro, metalização negra